Mentes Abençoadas I

Primeiro uma música meio decente…

Desde que os descobri, em torno de 12 anos de idade, Eu amei jogos de interpretação de personagens de caneta & papel fantásticos. Depois de na verdade ser curado de todo interesse na literatura pelo sistema educacional na Noruega o interesse nesses RPGs reascendeu meu interesse em livros. Devido a MERP (Middle-earth roleplaying game) O Hobbit foi o primeiro livro que eu li por conta, e Eu o amei. Dos 12 aos 19 anos Eu gastei todo meu dinheiro com livros de RPG, e dos 12 aos 17 anos Eu gastei todo meu tempo livre – e na maior parte do tempo Eu era entendido a gastar em lavagem cerebral (alias “educação”) também – lendo estes livros ou jogando RPG com meus amigos.

Devido a esse hobby Eu pude, por exemplo, oralmente resolver todas as tarefas de matemática por exemplo que meu irmão havia me dado, por uma prova de matemática de 2 horas no final do ensino médio, quando eu estava no fim do começo. Demorou menos de 5 minutos (o tempo que meu irmão precisava para desamarrar os calçados e pendurar a jaqueta na parede) e todas as minhas respostas estavam corretas.

Devido a esse hobby Eu pude passar nos testes de Inglês no começo do ensino médio, devido ao fato de que eu faltei 2/ 3 de todas as aulas. Eu tirei a melhor nota possível, e minha professora de Inglês (que mal apenas me viu em aula) esteve bem surpresa.

Devido a esse hobby Eu comecei a ler sobre mitologia, história antiga, religião e contos de fada, e eu descobri a importância da nossa própria herança Europeia, algo que não se aprende na escola.

Devido a esse hobby Eu estive apto a fazer exames como um candidato privado do fim do ensino médio, enquanto na prisão, e com exceção do Inglês Escrito e Norueguês Oral (o qual eu mal apenas passei …. meu Inglês escrito aparentemente é uma merda, e eu não tinha interesse na “literatura” politicamente correta que eles queriam que nós estudássemos em Norueguês Oral, então eu não merecia nada melhor lá) Eu tinha notas muito boas – a maioria das vezes as melhores.

Então indiretamente devido a esse hobby Eu estive apto a fazer cursos de Tecnologia da Informação em uma escola técnica em Trondheim (como um candidato privado) e mais tarde estudar na universidade em Tromsø, onde por um breve período eu estudei a Filosofia da Grécia Antiga, Latina e Inglesa, até eu ser solto – nesse ponto eu urgi para casa, sem sequer olhar para trás.

Eu aprendi nada na escola; quase tudo que sei eu aprendi sozinho, e muito devido ao meu interesse em RPG.

Bem; eu não estou exatamente dizendo a verdade aqui; eu aprendi muito na escola. Eu aprendi desconsiderar o Socialismo. Eu aprendi a detestar Socialistas. Eu aprendi a lutar e a usar a violência para resolver problemas, quanto mais cruel e brutal melhor. Eu aprendi a saborear a justiça. Eu aprendi a lidar com o tédio. Eu aprendi a detestar feministas. Eu aprendi a desprezar os fracos e estúpidos. Eu aprendia a lidar com meu desconforto a ver outras crianças sofrer. Eu aprendi a sobreviver no tráfego (voltando e indo de casa a escola todos os dias). E eu aprendi a zombar várias músicas, fazendo graça de Jesus e Cristãos em geral. Nós gostávamos de cantar por exemplo “Glade Jul, heng i og pul, så får du barn til neste Jul” (“Feliz Natal, começe a foder, e você terá crianças para o próximo Natal”) ou “Santa Lucia, dreit oppi lia” (“Santa Lucia, merda sobre a vertente”) no salão de assembleias, quando os podres feministas Socialistas-Cristãos (alias os professores) tentaram nos forçar a cantar sons Cristãos. Nós cantávamos, mas como você pode ver, com algum texto alterado (e por alguma rasão eu ainda lembro aqueles sons vividamente). Então eu aprendi algumas coisas na escola…

Eu posso também ter aprendido a mentir, a sugar os professores, a fingir para ter minhas vontades, a amedrontar os bullies, a tolerar o arrasamento das professoras, e tudo mais, mas eu nunca o fiz. Ao invés disso eu fui sempre fortemente desgostado pelas professoras, e visto como uma criança cabeçuda, uma criança arrogante, e um bully, porque eu detonava a merda de outros bullies – com certa frequência até – e eu não amedrontava as professoras quando elas vinham me punir por isso (nunca se importando a ver que começou primeiro; na Noruega Soviética eles simplesmente sempre puniam o vencedor [e isso continua no sistema de “justiça”, pelo menos até onde eu sei por agora]).

Eu sobrevivi mentalmente, ao contrário de muitos e talvez a maioria das crianças naquele sistema destrutivo. Eu remanesci eu mesmo através de seu maquinário de propaganda fedorento, intendido a construir tijolos para as muralhas que eles constroem para nos emprisionar. Eu não encaixe em sua muralha. Eu remanesci como um verdadeiro ser humano, eu indivíduo decente, apto a pensar por mim mesmo. Certamente, eu poderia incomodar muitos, porque o que eu digo não cabe em suas mentes de A4, mas isso é tranquilo.

Esperando que muitos remanescessem eles mesmos, depois de expostos aos horrores do sistema educacional, eu tenho feito um RPG, consumado de política incorreta e oportunidades aos jogadores aprender ambos inglês e matemática básica; cheio de oportunidades para as crianças de todas as idades aprenderem a pensar por si mesmas, achar soluções elas mesmas, a desenvolver sua própria imaginação como elas quiserem e se tomarem verdadeiros seres humanos, não se encaixando em nenhuma muralha de templo Hebreu, mas existindo sobre elas mesmas e nas próprias bondades das pessoas – pelo hamingja eles se tornarão um dia parte de tudo.

Meu RPG se chama MYFAROG, um acrônimo de para “Mythic Fantasy Roleplaying Game”, e será provavelmente publicado esse ano ou no começo do ano que vem. Ele contém ambas oportunidades para aqueles que querem jogar o jogo e aqueles que – como eu – gostam de ler livros de interpretação, para encontrar sistemas e ver as coisas de novas perspectivas. Naturalmente (uma versão de jogo-amigável) nossa religião Europeia está presente também, em detalhes, preenchendo muitos buracos deixados por Sorcery and Religion in Ancient Scandinavia. Pode ainda ser visto como uma errata a esse livro.

Ainda inquebrável por mentiras (uma criança meio-escolarizada…):

Obrigado pelo seu interesse.

HailaR WôðanaR!

Para mais sobre MYFAROG clique aqui!

Autor: Varg Vikernes

Post completo: Blessed Minds I

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s